Skip to content

Um gato que virou três

24/03/2012

Matheus e Marina trabalham na mesma empresa que eu. Começaram recentemente a fazer perguntas sobre gatos, me contaram que iam adotar um, fiquei superfeliz e na torcida. Eles gostaram tanto da experiência que, em um mês, um gato virou três (e não teve o golpe da barriga, que é quando a gatinha chega grávida). Adoro as fotos de Nhoc, Farfalle e Panqueca e Marina me falou que em breve eu poderei conhecê-los – ah, mas se vou cobrar!

Enquanto não conheço os adoráveis, deixo aqui uma entrevista por e-mail que fiz com Matheus, em que ele conta sobre os filhotes. Delicie-se com Nhoc, Farfalle e Panqueca.

Da frente para trás: Panqueca, Farfalle e Nhoc

Da frente para trás: Panqueca, Farfalle e Nhoc

Como foi a adoção dos três gatos?

A ideia de adotar surgiu em janeiro, bem no comecinho do ano, depois de uma viagem que fizemos para Florianópolis. Lá a gente ficou na casa da minha mãe, que tem dois gatinhos – a Gata Velha e o Amarelo -, e foi quando a gente descobriu que a Marina não era alérgica como ela pensava ser. Basicamente era isso que impedia a gente, até então, de ter gato em casa.

Já na primeira semana de janeiro a gente começou a acessar o site do Adote um Gatinho compulsivamente, sempre tentando achar um gatinho que os dois gostassem. Acabou que a gente se apaixonou pelo Farfalle, que antes chamava Zipy, mas infelizmente ele já estava reservado. O AUG sugeriu de ficarmos com o Nhoc (chamado Floky), que era irmãozinho dele, e nós topamos (tem como resistir a essa carinha gorda? pois é).

O Nhoc chegou em casa depois de uma semana de ansiedade (não dormimos, não comemos, viramos sócios da Cobasi e tivemos diversos surtos imaginando que a voluntária ia desistir, que algo ia dar errado etc e tal) e – depois de diversos nomes que não pegaram – acabou virando o Nhoc. No mesmo dia decidimos adotar um outro gatinho, já que mal saíamos de casa e ele começava a chorar. Falamos com a voluntária da AUG e ela achou melhor doar o Farfalle para a gente, já que ele ficaria com o irmão. E assim chegou o Farfalle.

A Panqueca veio um mês depois, logo que a gente conheceu o trabalho da Confraria dos Miados e Latidos. Foi amor à primeira vista, principalmente depois de ver esse vídeo aqui

Nhoc chegou primeiro

Nhoc chegou primeiro

Inicialmente, a ideia era adotar um gato. Como um virou três?

Bom, um virou dois porque o Nhoc era tão carentinho que você saía de casa para trabalhar e se sentia um monstro, de tanto que ele chorava e tentava vir junto. Dois viraram três porque eu e a Marina fizemos tudo em segredo, só entre a gente, sem que tivesse alguém para botar juízo na nossa cabeça, mas valeu totalmente a pena! (:

Quais as características de cada um deles?

O Nhoc é bastante expressivo, faz milhares de caras e bocas, você consegue saber o que ele está pensando só de olhar para a cara dele. Ele é superfalante desde pequeno (ele e o Farfalle chegaram aqui em casa com 4 meses) e, dos três, é mais independente de todos. Só que quando ele está dengoso não dá para ignorar: ele se esfrega na sua cara até você não ter outra opção além de fazer carinho nele.

O Farfalle é o nosso despertador; todo dia, lá pelas sete da manhã, ele começa a acordar a gente. E isso quer dizer que ele tenta até conseguir: cheira, morde, dá bigodada, deita em cima da nossa cabeça… Era bonitinho na primeira semana, hoje a gente já vai dormir sabendo que não precisa nem colocar alarme no celular. Dos três ele é o mais carente – do tipo que, se você está fazendo carinho no Nhoc, ele chega, se joga na frente e pronto.

Farfalle substitui qualquer despertador

Farfalle substitui qualquer despertador

A Panqueca é a beijoqueira da casa: não pode ver uma boca que já sai lambendo. Ela também adora morder tudo que vê pela frente e é super ronronadora, parece um motorzinho. Ela não é tão carente quanto os outros dois, mas é a mais carinhosa – sempre procura um colo. Ah, e a gente quase nunca escuta ela miar: ela é adepta dos gritinhos. 

A vida de vocês mudou muito com a chegada do trio? Se sim, como?

Ah, definitivamente. Tivemos que adicionar coisas como troca ração, água, limpar a caixinha de areia à rotina (e isso sem falar em acordar mais cedo, por causa do Farfalle), e a vida ficou bem mais feliz. É difícil chegar em casa depois de um dia de trabalho e não se sentir bem melhor com os três motorzinhos te esperando na porta!

Panqueca é a única menina do trio

Panqueca é a única menina do trio

Nesse meio tempo a gente passou a ler muito mais sobre gatos, rações, suplementos, remédios, todas essas coisas. No geral somos bem preocupados, então qualquer espirro já meio que coloca os dois em estado de alerta. Ah, e os gatos monopolizam praticamente todas as nossas conversas com amigos e colegas de trabalho desde então – sabe aquela coisa de pai orgulhoso falando dos filhos? pois é – e redes sociais como Instagram e Facebook. É foto de gato pra cá, vídeo de gato pra lá e por aí vai.

Acrescentem alguma informação/história, se quiserem.

Logo no segundo dia do Nhoc aqui em casa (o Farfalle ainda não tinha chegado), nós fomos limpar a caixinha de areia e vimos que não tinha nada, nada de xixi. Obviamente, recorremos ao Google e começamos a ver o que podia estar errado para ele não usar a areinha em 24 horas. Já era coisa de duas, três horas da manhã e o primeiro resultado da pesquisa dizia que gatos que ficam segurando o xixi por mais de 24 horas correm sérios riscos de vida (falava sobre o PKD). Um olhou para a cara do outro e já estávamos quase colocando o gato dentro de um táxi quando decidimos revirar a caixinha. A gente não sabia que o xixi ficava lá no fundo…

Também teve uma vez que demos banho nos dois (a Panqueca ainda não estava conosco) de madrugada e, assim que acabamos, decidimos ver algum seriado, contentes por estarem todos cheirosos e branquinhos. Estávamos quase indo dormir e eis que o Farfalle chega, com cara de orgulho e todo sujo de cocô, depois de ter se divertido na caixinha de areia. E lá fomos nós dar outro banho no gordinho.

Bolo de gato

Bolo de gato

Advertisements
12 comentários leave one →
  1. Erica permalink
    24/03/2012 6:07 PM

    Parabéns à família!!!

  2. talita permalink
    24/03/2012 8:07 PM

    que lindo esse post! gatos realmente são uma benção de deus em casa.. eu tenho 4 e nao sei como vivia antes de tê-los.. rs para algumas pessoas que nao tem gato sem assustam quando a gente diz q tem 4 mas integram direitinho na nossa familia. me identifiquei com a parte que ele diz que todas as conversas/fotos são dos gatos ! hahaha, aqui eh igual !
    enfim .. belo post !

  3. Marcia permalink
    25/03/2012 9:48 AM

    Muita emoção e felicidade neste post. Ternura pura. Deram muita sorte estes gatinhos, pois seus pais humanos tem a “felinidade” na alma.
    Felicidade à família!

  4. 25/03/2012 4:21 PM

    Que bela familia!!!! Tbm tenho 4 e a reação das pessoas e exatamente como a Talita diz, mas eu não ligo, amo meus gatos e tudo na minha vida e sobre eles!

  5. permalink
    26/03/2012 9:54 AM

    ah, mas que delícia ler isso! 🙂
    mais dois protegidos do aug tiraram a sorte grande!
    espero que a família seja muito feliz!

  6. Márcia permalink
    26/03/2012 7:55 PM

    Orgulho desses meus sobrinhos, respeito e amor aos animais é mesmo coisa família.

  7. 28/03/2012 2:15 PM

    Adorei esse relato!!!!! Eu tinha dois que virou 4!
    Eu ia adotar um também, que virou dois, pq eram irmãs e fiquei com dó de separá-las, depois de um tempinho queríamos um frajola e quando foram levar p gente o irmão estava junto, não resistimos! Meus gatos são minha alegria, nossa, amo muito!=)

  8. 28/03/2012 3:36 PM

    Amei a história de um gato que virou três e compartilho um pouco dessa experiência também já que primeiro adotamos um felino e por dó de deixá-lo sozinho acabamos adotando o segundo. Resultado: nossa vida ficou muito melhor e estamos mais felizes!!
    Beijos

  9. Luciana Santos permalink
    11/04/2012 1:08 PM

    Meu Deus que coisinhas mais linda!!! Adorei a história de vcs, tb tenho 2 e não consigo imaginar um sem o outro. Eles são muito travessos e anoite parece que ficam loucos correndo pela casa ….amo meus gatinhos lindos!!!
    bjusss

  10. 19/04/2012 12:03 PM

    derreti! ^^

    • Bi@ permalink
      26/04/2013 12:29 PM

      Oi, lá em casa, 2 virou 1 que somou com 2 e agora são 3 arteiros! Principalmente o único menino, gordo e bagunceiro no último, esparrama areia pra fora da caixa e come feito um condenado, em compensação adora dormir em cima de mim e me aquece nas noites frias do Sul… amo muito eles, até minha siamesinha que era super ciumenta comigo agora convive bem com os novos irmãozinhos adotivos… recomendo a todos que tenham dois, três ou até quatro gatos… mais que isso não é legal pra convivencia entre eles, por causa da questão territorial, além disso fica mais dificil pro dono avaliar se todos estão comendo direito e usando o banheiro regularmente…. muito legal a entrevista!

Trackbacks

  1. Como fazer gatos se darem bem (ou: como introduzir um novo gato) | Diário de dois gatos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: