Skip to content

Gatos mudam de comportamento no frio. Oba!

21/03/2013
Mingau, num momento de pura humildade motivado pelo frio

Mingau, num momento de pura humildade motivado pelo frio (espia a patinha guardada)

Começou o outono no Brasil e, com ele, tem início a temporada de submissão dos gatos. Sim. Sempre que a temperatura cai, os bichanos (aka reis) descem de seus tronos e deixam suas coroas de lado para se aconchegarem junto aos donos, dando longos shows de fofura. Ai, que delícia (falta só um chocolate quente)!

Na trilha sonora, muitos ronrons de agradecimento àqueles que, durante todo o verão e primavera, são vistos como verdadeiros bobos da corte – existem somente para servir. Mas está frio, o rei está nu e é hora de a gente ter o reconhecimento que merece por tanta devoção.

Eu, enquanto ex-boba da corte (condição temporária, porque o verão sempre volta), tirei os chapeuzinhos de guizo e estou aproveitando meu lugar ao sol (ou melhor, à chuva).

Durmo com a gataiada na minha cola, acordo do mesmo jeito e nem tomei um gelo no sábado à noite, quando voltei de uma viagem de quatro dias. Como a temperatura tinha caído, eles engoliram o orgulho e vieram receber todo o carinho e calor que eu tinha para dar. Chupa, bigatos! 😛

Seu gato também muda muito no inverno? Contaí o que ele faz.

Por Juliana Bontempo

Anúncios

História sem fim

20/02/2013
Imagem

O gato, com todo o tempo do mundo, faz plantão em frente à sapateira (dir) usada de esconderijo pela Dona Barata

Se você é uma pessoa curiosa, abandone agora este post – como adianta o título, neste texto você ficará sem respostas. Se você é uma pessoa nojenta, fuja – este conteúdo inclui baratas voadoras. Se você passou pela nossa triagem, essa história é para você. 🙂

Cheguei ontem em casa e a recepção foi bem fria. De um lado tinha a porta por onde eu entrava, do outro tinha a porta da sacada, com um bicho em cima da cortina. Perdi, claro. Sem óculos, levei alguns minutos para entender o tamanho do bicho voador que enfeitiçou bigatos. De óculos, descobri que era uma barata. Ui.

Não morro de nojo, mas também não acho legal. Assim como não acho legal que meus gatos matem outros bichos (viu esse pesquisador radicalzão, o que diz sobre o assunto?). Quando achei que a situação se resolveria com a Dona Barata voando para fora, ela fez a burrice de entrar em minha sapateira, onde sumiu para todo o sempre.

Sem conseguir vê-la, mas sabendo de seu esconderijo, bigatos ficaram de plantão por horas (sério!). Eu não queria que eles comessem o bicho, mas também não queria que a Dona Barata morasse em meu armário. Diante desse dilema, mantive a porta da sapateira aberta e fui dormir — com bigatos ainda de plantão –, crente que a natureza tomaria seu rumo.

Hoje de manhã parecia tudo bem, mas não sei se eles desistiram de caçar ou ela de viver. Ó!

Por Juliana Pintadinha 

Gastigo: gato aprontão ganha apelido de Val Marchiori

23/01/2013
Manjar, em fase de poucos amigos, ganhou apelido de Val Marchiori. Hello!

Manjar, em fase de poucos amigos, ganhou apelido de Val Marchiori. Hello!

Eventos recentes fizeram com que eu trocasse temporariamente o nome de Manjar para Megerinha (alguém tem um PET com esse nome, não consigo lembrar quem é). A situação se agravou e ele passou então a ser chamado de Val Marchiori, ou simplesmente Val, tamanha a (não) doçura. Agora que tudo aparentemente voltou ao normal, Manjar segue com seu nome original – mas ainda proibido de entrar no armário. Vamos por partes.

No ano passado, devido à quantidade de pelos soltos por milímetro quadrado, os gatos foram proibidos de entrar no meu armário. Passei a deixar somente uma parte aberta, onde eles não tinham acesso às roupas.  Mas Manjar quer sempre mais e, insatisfeito com o espaço que abrigaria uma família inteira de gatos, aprendeu a empurrar a porta, conseguindo acesso até a área proibida.

Chegou final de ano, com aquele monte de fogos que os gatos odeiam,  e decidi que deixaria eles ficarem no armário para se sentirem mais seguros: só em 2013 retomaria o controle da situação. Rá. Rá. Rá.

Dois mil e treze veio e eu fechei o armário (outra promessa era fazer o mesmo com a boca, comendo menos, mas enfã…). Manjar, agora já chamado de Megerinha devido ao mau humor causado pela proibição, revoltou-se.

Com apenas uma frestinha da porta aberta, ele conseguiu subir até o maleiro e, de lá, entrar na parte proibida. Ficou preso sabe-se lá por quantas horas e, quando cheguei do trabalho, Mingau era pura angústia. Pelos miados encontrei seu irmão, que derrubou muitas roupas do cabide na tentativa de fugir do armário. Aquele mesmo armário onde ele fez uma revolução para conseguir entrar.

A partir daí, até as frestinhas – consideradas brechas de segurança, neste caso – foram proibidas. E o humor da Megerinha piorou, rendendo ao gato o apelido de Val. Ele ficou distante, mal-humorado e não quis papo por alguns dias. Ficou, em suma, #chatiado. Ficou Val Marchiori.

Nessa fase, Val se escondeu uma manhã. Sumiu. Procurei em todos os lugares, inclusive embaixo da cama, e não encontrei. O tempo passou e ouvi um barulho justamente lá. Foi quando, agachada no chão, ao lado da cama, presenciei o nascimento de um gato: Val “caía” de dentro da cama box, onde fez um buraco.  Vi sair uma cabeça, depois patinhas, o corpo, mais patinhas e o rabo daquele que vai ter, sim, seu próprio armário. Nem que seja em formato de cama box. Suspiros.

Desde então, não vi mais essa cena e Val se acalmou, voltando a se chamar Manjar. Mas ai de mim se inventar que, dentro da cama, gato não fica. Hello!

Por Juliana Tamborindeguy

Desejos de Ano Novo

15/01/2013
tags:

Estamos atrasados para estrear o blog em 2013. Mas, neste ano, o espírito é que sempre dá tempo: seja de mudar, de voltar atrás, começar, recomeçar ou whatever. Nessa toada, decidi expor aqui os desejos de Manjar e Mingau para este novo ano. De minha parte, quero que eles tenham saúde e sejam felizes. Da parte deles…

Manjar
Torce para que, de uma vez por toda, tenha um closet para chamar de seu. De preferência com vários miniesconderijos, onde ele possa curtir roupas e sapatos sem ser incomodado por humanos. Este armário deve guardar várias roupas de nylon, tecido que ele particularmente aprecia (para morder). Em seu closet dos sonhos, o gato também exige a existência de uma sapateira para se refastelar com muitos pares.

gato sapato manjar diário de dois gatos

“Me vira de ponta cabeça. Me faz de gato e sapato…”

Mingau
Mingau deseja que, neste ano, sua dona deixe de ser megera e passe a compartilhar com ele a comida dos humanos. No café da manhã, pães (com uma fina camada de manteiga nos dias pares, requeijão nos ímpares). Almoço pode ser uma peça de peito de peru, tomates à tarde e peito de peru, novamente, na janta. Nos finais de semana, ele deseja compartilhar a pizza com a família – humilde, o gatinho não faz exigência de sabores. Também quer que o Alê esteja disponível sempre, para ele dormir em seu colo.

Imagem

Kordei, cadê janta de humano?

E o seu gato, qual o desejo dele de Ano Novo? Conta pra gente nos comentários.

Por Juliana Abramo

Diário de vários gatos – 2012

24/12/2012
tags:

Queridas e queridos, abaixo as fotos de seus gatos, publicadas na ordem de chegada. Muito obrigada por tudo e que 2013 seja incrível para todos nós (gatos included).

O Pipoca é extremamente carinhoso, dengoso e carente. Além disso, como todo gato, adora se enfiar em qualquer caixa, sacola ou buraco que encontra! Por Paula

O Pipoca é extremamente carinhoso, dengoso e carente. Além disso, como todo gato, adora se enfiar em qualquer caixa, sacola ou buraco que encontra! Por Paula

A Panqueca é a senhorita TPM da casa. É castrada e já passou da fase filhote, mas adora destruir as coisas e implicar com quem estiver quieto! :) Por Paula

A Panqueca é a senhorita TPM da casa. É castrada e já passou da fase filhote, mas adora destruir as coisas e implicar com quem estiver quieto! 🙂 Por Paula

Mingau foi adotado aos quatro meses, grandão, cachorro-gato. Está por perto, ama beijos de esquimó, adora morder colchões, não aceita portas de banheiro fechadas e gosta de ser observado quando usa o banheiro.  Por Mônica

Mingau foi adotado aos quatro meses, grandão, cachorro-gato. Está por perto, ama beijos de esquimó, adora morder colchões, não aceita portas de banheiro fechadas e gosta de ser observado quando usa o banheiro. Por Mônica

Zé foi resgatado de um bueiro, com seus dois irmãos: fiquei com ele e com a irmã. Ele é um dengoso, carinhoso e medroso: quando chegam as visitas ele se esconde. Ele é meu bebê. Por Glaucia

Zé foi resgatado de um bueiro, com seus dois irmãos: fiquei com ele e com a irmã. Ele é um dengoso, carinhoso e medroso: quando chegam as visitas ele se esconde. Ele é meu bebê. Por Glaucia

A Loli foi resgatada com seu irmão Zé no bueiro. Quando a vi, com sarna, desnutrida, pensei: ''ela é muito feinha, quem vai querer ela?'' Eu quis e amo ela demais! Ela é muito espoleta, apronta o tempo todo. Por Glaucia

A Loli foi resgatada com seu irmão Zé no bueiro. Quando a vi, com sarna, desnutrida, pensei: ”ela é muito feinha, quem vai querer ela?” Eu quis e amo ela demais! Ela é muito espoleta, apronta o tempo todo. Por Glaucia

Esta é a Linda Maria, a rainha da casa, uma lady! Quando os gatinhos chegaram, foi difícil pra ela se acostumar, demorou para pegar amizade. Com o Zé ela se dá bem, mas com a Loli... às vezes as duas se estranham. Por Glaucia

Esta é a Linda Maria, a rainha da casa, uma lady! Quando os gatinhos chegaram, foi difícil pra ela se acostumar, demorou para pegar amizade. Com o Zé ela se dá bem, mas com a Loli… às vezes as duas se estranham. Por Glaucia

Esse é o Brother, da Denise (primeira mãe humana dos bigatos)

Esse é o Brother, da Denise (primeira mãe humana dos bigatos)

Essa é a Shanti, da Denise (primeira mãe humana dos bigatos)

Essa é a Shanti, da Denise (primeira mãe humana dos bigatos)

Essa é a Gigi, da Denise (primeira mãe humana dos bigatos)

Essa é a Gigi, da Denise (primeira mãe humana dos bigatos)

Essa é a Glorinha, da Denise (primeira mãe humana dos bigatos)

Essa é a Glorinha, da Denise (primeira mãe humana dos bigatos)

Nhoc é o primogênito e hoje banca o durão, mas o que pouca gente sabe é que quando ele quer carinho, ninguém segura. Adora apreciar a vista da cidade e é um padeiro de primeira. Por Marina e Matheus

Nhoc é o primogênito e hoje banca o durão, mas o que pouca gente sabe é que quando ele quer carinho, ninguém segura. Adora apreciar a vista da cidade e é um padeiro de primeira. Por Marina e Matheus

Farfalle tem miado de gatinha, mas é um gentleman. Ele não conhece obstáculos - abre qualquer porta ou armário para pegar o que tem dentro - e adora apreciar sua comida sem pressa. É um gatinho gourmet. Por Marina e Matheus

Farfalle tem miado de gatinha, mas é um gentleman. Ele não conhece obstáculos – abre qualquer porta ou armário para pegar o que tem dentro – e adora apreciar sua comida sem pressa. É um gatinho gourmet. Por Marina e Matheus

Com seu bigode sedutor, Budega conquista qualquer ser vivo que encosta o pé lá em casa. Sempre a primeira a terminar de comer, gosta de praticar terror psicológico nos irmãos: fica colada assistindo à refeição de cada um. Por Marina e Matheus

Com seu bigode sedutor, Budega conquista qualquer ser vivo que encosta o pé lá em casa. Sempre a primeira a terminar de comer, gosta de praticar terror psicológico nos irmãos: fica colada assistindo à refeição de cada um. Por Marina e Matheus

Tangerina é a mais espoleta da casa. Quando dá a louca, ela corre e quebra tudo. Claro, não posso deixar de comentar seu talento nato: Tangs é uma gatinha cantora. E, ah, com ela, não precisamos de despertador! Por Marina e Matheus

Tangerina é a mais espoleta da casa. Quando dá a louca, ela corre e quebra tudo. Claro, não posso deixar de comentar seu talento nato: Tangs é uma gatinha cantora. E, ah, com ela, não precisamos de despertador! Por Marina e Matheus

Panqueca foi a primeira menina da casa, uma delícia de gatinha! Ela vive amassando pãozinho nos nossos colos, mas não se pode descuidar, ela tem dentinhos ágeis e afiados. Por Marina e Matheus

Panqueca foi a primeira menina da casa, uma delícia de gatinha! Ela vive amassando pãozinho nos nossos colos, mas não se pode descuidar, ela tem dentinhos ágeis e afiados. Por Marina e Matheus

Lily tem um aninho, adora conversar, brincar com sacolas, comer mamão e dar bom dia lambendo narizes. É sempre parceira para sonecas e nos espera na porta ao fim do dia. É a alegria dos seus pais de primeira viagem. Por Ane e Telli

Lily tem um aninho, adora conversar, brincar com sacolas, comer mamão e dar bom dia lambendo narizes. É sempre parceira para sonecas e nos espera na porta ao fim do dia. É a alegria dos seus pais de primeira viagem. Por Ane e Telli

Nina Simone foi a primeira que chegou.  Me ensinou tudo sobre amor, parceria e aceitação. É uma gata alfa, eu sou dela, dorme em cima de mim. Por Bete

Nina Simone foi a primeira que chegou. Me ensinou tudo sobre amor, parceria e aceitação. É uma gata alfa, eu sou dela, dorme em cima de mim. Por Bete

Alice Maria foi a segunda a chegar. É doce, querida e nunca me arranhou, nem brincando. Por Bete

Alice Maria foi a segunda a chegar. É doce, querida e nunca me arranhou, nem brincando. Por Bete

Nanda é a gatinha mais cheirosa q eu conheço e muito companheira. No inverno ela é nosso cobertorzinho ambulante e acompanha todos os dias nossos banhos. Adora atum, água de coco e muito amor. Por Day Duarte

Nanda é a gatinha mais cheirosa q eu conheço e muito companheira. No inverno ela é nosso cobertorzinho ambulante e acompanha todos os dias nossos banhos. Adora atum, água de coco e muito amor. Por Day Duarte

Tobias se declarou inimigo mortal de todos os tapetes, não sossega até extermina-los um a um em cada cômodo da casa. Brincalhão que só, ronca quando dorme. Foi resgatado e amado desde o princípio! Por Day Duarte

Tobias se declarou inimigo mortal de todos os tapetes, não sossega até extermina-los um a um em cada cômodo da casa. Brincalhão que só, ronca quando dorme. Foi resgatado e amado desde o princípio! Por Day Duarte

Malu e Luli têm manias estranhas, como molhar a pata na água e arrancar as meias do varal. Vai entender! Por Luana

Malu e Luli têm manias estranhas, como molhar a pata na água e arrancar as meias do varal. Vai entender! Por Luana

Adotei Janis Joplin (ex-Jenny), linda e pomposa. Junto, veio Jimmi Hendrix (ex-sniff), o rei dos gatos. Jimmi é apaixonante e muito carente. Janis é uma lady. Às vezes me pergunto se eu sou dona dela ou ela, a minha. Por Uiara

Adotei Janis Joplin (ex-Jenny), linda e pomposa. Junto, veio Jimmi Hendrix (ex-sniff), o rei dos gatos. Jimmi é apaixonante e muito carente. Janis é uma lady. Às vezes me pergunto se eu sou dona dela ou ela, a minha. Por Uiara

Fui ao petshop comprar um cachorrinho e voltei com a Marie. Ao pegar ela no colo, meu amor foi instantâneo! Ela é superbagunceira, mas também um poço de dengo e adora dormir na minha barriga. Por Karen

Fui ao petshop comprar um cachorrinho e voltei com a Marie. Ao pegar ela no colo, meu amor foi instantâneo! Ela é superbagunceira, mas também um poço de dengo e adora dormir na minha barriga. Por Karen

O Nininho aparecia aqui, minha avó o alimentava e acabou colocando ele pra dentro. Ele era muito arisco e, quando estava acostumando com todos, foi atropelado e machucou a patinha traseira. Cuidamos dele, que está bem agora, mas ficou medroso novamente.Por Amanda

O Nininho aparecia aqui, minha avó o alimentava e acabou colocando ele pra dentro. Ele era muito arisco e, quando estava acostumando com todos, foi atropelado e machucou a patinha traseira. Cuidamos dele, que está bem agora, mas ficou medroso novamente.Por Amanda

Esse é o Tico ou tiquinho. Acreditem ou não, ele nunca mia! Nem para pedir comida: não tem trauma por miar, simplesmente não faz. Tem 6 anos e pegamos ele com poucos meses. É o gato preto mais brilhante de todos. Por Amanda

Esse é o Tico ou tiquinho. Acreditem ou não, ele nunca mia! Nem para pedir comida: não tem trauma por miar, simplesmente não faz. Tem 6 anos e pegamos ele com poucos meses. É o gato preto mais brilhante de todos. Por Amanda

Essa é a Tikinha, a mais manhosa de todos! Ao contrário do Tiquinho, ela mia o dia todo até a gente dar atenção para ela e penteá-la com sua escovinha. Anda atrás da minha avó o dia todo. Uma fofa incomparável. Por Amanda

Essa é a Tikinha, a mais manhosa de todos! Ao contrário do Tiquinho, ela mia o dia todo até a gente dar atenção para ela e penteá-la com sua escovinha. Anda atrás da minha avó o dia todo. Uma fofa incomparável. Por Amanda

Esse é o Jake. Ele tem aproximadamente 5 anos e teve um infecção na orelha um tempo que o deixou bem doentinho, mas aos cuidados do pessoal aqui em casa ele está lindo e saudável agora. Por Amanda

Esse é o Jake. Ele tem aproximadamente 5 anos e teve um infecção na orelha um tempo que o deixou bem doentinho, mas aos cuidados do pessoal aqui em casa ele está lindo e saudável agora. Por Amanda

Esse é o Diego, gordo e do rabinho cotó. Tem um ano, é calmo, mas adora fazer a canela alheia de arranhador. Ganhou um irmão no final de novembro. Ainda não se acostumaram: Diego é doido para brincar com ele, mas apanha. Por Alexandra M.

Esse é o Diego, gordo e do rabinho cotó. Tem um ano, é calmo, mas adora fazer a canela alheia de arranhador. Ganhou um irmão no final de novembro. Ainda não se acostumaram: Diego é doido para brincar com ele, mas apanha. Por Alexandra M.

Esse é, Jhonny irmão do Diego. Foi resgatado após levar um chute que o deixou cego de um olho, mas mesmo após o trauma continua carinhoso, mia pedindo carinho e atenção. Já se adaptou à casa, porém ainda estranha o Diego. Por Alexandra M.

Esse é, Jhonny irmão do Diego. Foi resgatado após levar um chute que o deixou cego de um olho, mas mesmo após o trauma continua carinhoso, mia pedindo carinho e atenção. Já se adaptou à casa, porém ainda estranha o Diego. Por Alexandra M.

O nome já diz tudo: ele é o Garfield. Preguiçoso, comilão, folgado e muito miante (falante)! É o mais desconfiado e assustado da casa, mas quando é conquistado torna-se companheiro e supercarinhoso. Por Paula

O nome já diz tudo: ele é o Garfield. Preguiçoso, comilão, folgado e muito miante (falante)! É o mais desconfiado e assustado da casa, mas quando é conquistado torna-se companheiro e supercarinhoso. Por Paula

Mel chegou aqui em agosto desse ano, a primeira gata da família. Resmunguenta, ataca pernas desprevenidas e depois faz charme com o barrigão pra cima. Nosso bebê de patas. Por Lizzie

Mel chegou aqui em agosto desse ano, a primeira gata da família. Resmunguenta, ataca pernas desprevenidas e depois faz charme com o barrigão pra cima. Nosso bebê de patas. Por Lizzie

A mãe bem que tentou fazer Bóris comer só ração, mas ele fica desesperado quando tem alguém comendo melão, mamão, maçã, melancia ou iogurte: morde as pernas de qualquer um que não ceda aos seus desejos gastronômicos. Também ama comer sacolas de plástico e dormir de barriga pra cima. Por Gabriela

A mãe bem que tentou fazer Bóris comer só ração, mas ele fica desesperado quando tem alguém comendo melão, mamão, maçã, melancia ou iogurte: morde as pernas de qualquer um que não ceda aos seus desejos gastronômicos. Também ama comer sacolas de plástico e dormir de barriga pra cima. Por Gabriela

Nico é superfalante, adora colo e quer sempre muita atenção. Ama crianças e toda noite ele mia na porta, pedindo para ir brincar com os vizinhos. Seu maior desejo é comer um pote inteirinho de gelatina sozinho, mas a mãe já disse que ele só vai poder quando fizer 18 anos. Nico conta os dias desde então. Por Gabriela

Nico é superfalante, adora colo e quer sempre muita atenção. Ama crianças e toda noite ele mia na porta, pedindo para ir brincar com os vizinhos. Seu maior desejo é comer um pote inteirinho de gelatina sozinho, mas a mãe já disse que ele só vai poder quando fizer 18 anos. Nico conta os dias desde então. Por Gabriela

Mikey (branco) e Safira têm 4 anos. O Mikey é tranquilo, carinhoso, dorminhoco. A Safira já é meio doidinha, ligada no 220,corre pela casa, anda na parede, sobe nas costas de quem estiver desprevenido, topa qualquer brincadeira e só dorme quando a gente dorme. Por Marisa

Mikey (branco) e Safira têm 4 anos. O Mikey é tranquilo, carinhoso, dorminhoco. A Safira já é meio doidinha, ligada no 220,corre pela casa, anda na parede, sobe nas costas de quem estiver desprevenido, topa qualquer brincadeira e só dorme quando a gente dorme. Por Marisa

Apresento a Gata, um lindo presente de aniversário. Gata é uma florzinha. É amorosa, companheira, inteligente e adora brincar. Por Fabíola

Apresento a Gata, um lindo presente de aniversário. Gata é uma florzinha. É amorosa, companheira, inteligente e adora brincar. Por Fabíola

Nina é uma gatinha que teve a sorte de não conhecer o sofrimento das ruas, como muitos gatinhos. Logo filhotinha foi adotada e sempre foi muito amada. Meiga e carinhosa, é o xodó da casa. Por Carol

Nina é uma gatinha que teve a sorte de não conhecer o sofrimento das ruas, como muitos gatinhos. Logo filhotinha foi adotada e sempre foi muito amada. Meiga e carinhosa, é o xodó da casa. Por Carol

Gêmeos, Manjar e Mingau são inseparáveis e vivem de chamego. Este ano foi especial para eles, pois ganharam um arranhador tamanho família, que vai até o teto. Só alegria! Por Juliana

Gêmeos, Manjar e Mingau são inseparáveis e vivem de chamego. Este ano foi especial para eles, pois ganharam um arranhador tamanho família, que vai até o teto. Só alegria! Por Juliana

Por Juliana Noel

Grumpy Cat, a gata mais mal-humorada

11/12/2012
Tá olhando o quê?

Tá olhando o quê?

Esse é um texto que fiz pra firma e que certamente vocês vão gostar. Coloco aqui apenas o primeiro parágrafo, com link para o conteúdo completo, para não cometer um plágio de mim mesma. 🙂

Se você navegou na web nos últimos meses, é bem provável que tenha esbarrado com o Grumpy Cat (gato zangado, em português), o bichano que personifica a criatura mais mal-humorada da internet. Como este texto é justamente sobre essa mais nova webcelebridade, seguem as informações que você precisa saber logo de cara: Grumpy Cat é fêmea, carinhosa, gosta de colo e adora brincar. Respire fundo e, passado o choque, dirija-se a este link, que contém uma entrevista com os donos da gatinha (fofa, como agora você já sabe).

Corre lá!

Por Juliana Vaincarar

Imagem e semelhança

03/12/2012

A cada ano bissexto – ou quase isso -, tenho insônia. Aconteceu na noite passada, de domingo para segunda (!), e chegou a ser engraçado. Foi tudo tão surreal que até vagalume entrou no meu quarto – além de uma esquadrilha de pernilongos famintos. Nesse cenário caótico, comprovou-se o que eu já sabia: o gato escolhe seu dono (para depois mandar nele, é claro).

"Ah, a gente é parecido? Então sobe aqui e se equilibra, humana."

“Ah, a gente é parecido? Então pula aqui e se equilibra, humana.”

Aqui em casa, fui a escolhida do Manjar. Ele é minha versão gato, eu sou sua versão humana. E quando a insônia bateu em mim, Manjar também fez questão de tratar a noite como uma criança. Correu atrás da mosca que estava no quarto (não tinha mencionado a mosca? Só faltou um unicórnio!), deu pinotes pela casa e me chamava para ir até a sala, onde se jogava no tapete pedindo carinho. A minha insônia era a do Manjar e assim nos fizemos companhia, bem acordados diante da segunda-feira que estava por vir.

Alê é MUITO o escolhido do Mingau, rola uma adoração entre os dois. E aí que, durante minha noite de insônia, essa outra dupla morreu de tanto dormir (se você passa pelo menos uma noite em claro a cada ano bissexto, sabe que isso é muito irritante). No quarto, Alê não se sensibilizou com meu drama de zumbi. Na sala, Mingau fez cara de desprezo quando eu e meu companheiro de aventuras, Manjar, nos sentamos perto dele.

Eu já sabia. Mas a noite passada foi só a prova de que o gato é igual seu dono. Ou vice-versa. Com você também é assim? Contaí pra gente. 🙂

Por Juliana Ritalina

%d bloggers like this: